Notícias e Eventos

Rotura do Ligamento Cruzado Anterior: Causas, sintomas e tratamento

A Rotura do Ligamento Cruzado Anterior do joelho é uma das lesões ligamentares mais comuns em jovens atletas. Atualmente estima-se uma incidência de rotura do LCA entre 30 a 87/100.000 pessoas/ano. Em 70% dos casos ocorre por traumatismo indireto através de manobras de desaceleração e mudanças rápidas de direção. Encontra-se frequentemente associada a lesão dos meniscos e cartilagem.

O papel do ligamento anterior

O ligamento cruzado anterior (LCA) é constituído por dois feixes que conectam o fémur à tíbia. Trata-se de um estabilizador da articulação do joelho, que permite um movimento normal entre as superfícies articulares. O LCA impede a translação anterior da tíbia em relação ao fémur e contribui para a estabilidade rotacional. Este mecanismo é particularmente importante em alguns desportos de contacto e pivot, como por exemplo o futebol.

Sintomas na rotura do LCA

Aquando do evento inicial, o doente refere, habitualmente, um estalido e dor intensa no joelho. Ocorre a instalação súbita de derrame articular, com incapacidade de carga e dificuldade na marcha sem o apoio de auxiliares. Após a fase aguda, os principais sintomas de rotura do LCA são a instabilidade e sensação subjetiva da falta de força – é como se o “joelho falhasse”.

Rotura do Ligamento Cruzado Anterior: Diagnóstico e tratamento

O exame clínico, através dos testes da gaveta anterior, lachman e pivot-shift, constitui a chave para um correto diagnóstico. Esta lesão pode ser classificada em 3 graus em função da sua gravidade:

  • grau I – distensão;
  • grau II – rotura parcial;
  • grau III – rotura total.

A ressonância magnética é o exame complementar gold-standard para uma correta avaliação e interpretação da rotura do LCA.
O desporto de alta competição levou nos últimos anos a um aumento exponencial do número de casos de rotura do Ligamento Cruzado Anterior, implicando longos períodos de paragem, com repercussões médicas, sociais e económicas para os atletas e respetivos clubes.

O tratamento atual consiste na reconstrução do LCA através de cirurgia artroscópica. Diferentes tipos de autoenxerto (isquiotibiais, tendão rotuliano ou tendão quadricipital) poderão ser utilizados em função:

  • características do enxerto
  • idade e nível de atividade desportiva do doente
  • preferência do cirurgião

A utilização de aloenxerto de cadáver poderá também ser uma opção, sobretudo em cirurgias de revisão ou lesões multiligamentares.

Tempo de recuperação

O retorno à competição está recomendado após 9 meses de tratamento e varia de acordo com a aquisição funcional motora e propriocetiva, mediante a realização de um protocolo de fisioterapia dirigido para reforço muscular e reabilitação. A ausência de tratamento ou o tratamento inadequado desta patologia podem levar ao desenvolvimento precoce de artrose do joelho.

Gostas do conteúdo? Partilhe

Partilhar

Partilhar

Fique por dentro!

Seja avisado sempres que surgir conteúdo novo aqui na TrueClinic
cookie TrueClinic

Esta página utiliza cookies. Ao continuar a navegar nesta página o utilizador concorda com a utilização de cookies. Poderá eliminar ou bloquear os cookies alterando a configuração no seu navegador de internet. Para mais informações consulte a nossa​ Política de Privacidade.